ASAE fecha restaurante do programa “Pesadelo na Cozinha”

canela

O restaurante Canela, em Campolide, Lisboa, está encerrado temporariamente na sequência de uma fiscalização da ASAE, esta quarta-feira. O restaurante foi estrela do programa “Pesadelo na Cozinha”, emitido pela TVI, e impressionou pela falta de higiene.
A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica confirmou à Renascença o encerramento provisório e informou que apenas quando estiverem resolvidas as falhas encontradas é que o espaço poderá de novo abrir. O espaço “não tinha condições para continuar a funcionar”, disse fonte oficial da ASAE.

A ASAE realizou 56 operações em Lisboa na última semana, levantando um processo-crime e 32 contra-ordenações. Oito espaços viram a actividade suspensa, entre os quais o Canela.

À porta do restaurante pode-se ler num papel: “Aviso: Por motivo de imprevisto, contra a nossa vontade estamos encerrados para alterações no estabelecimento. Obrigado pela vossa compreensão”.

As baratas, a gordura, as aranhas

O “Pesadelo na Cozinha” dedicado ao Canela revelou um espaço com falta de higiene e em que as baratas andavam pelas prateleiras e balcões. Uma das imagens mais marcantes foi a de uma bacia metálica suja onde o proprietário, Manuel Canela, marinava as carnes que colocava na grelha para cozinhar. Nessa bacia caíam restos de gordura dos canos do esgoto do lava-loiça e boiavam algumas baratas e aranhas.
Manuel Canela confirma que o espaço está fechado. Questionado pela Renascença se tinha sido alvo de uma inspecção da ASAE, Canela respondeu que “não”. “Estamos fechados para obras”, avançou.

No programa da TVI, gravado em 2016, o restaurante foi alvo de uma remodelação, limpeza e desinfestação. Manuel Canela diz que alterações feitas durante o programa não foram suficientes e que agora será ele mesmo a fazer as “obras que são precisas”.

Sobre a reabertura do espaço, o empresário disse primeiro que o restaurante reabriria depois da Páscoa, mas, convidado a precisar a data, afirmou que o regresso pode demorar um mês. “Pode ser mais”, referiu depois.

Já depois de Manuel Canela negar a visita da ASAE e que o encerramento se deveu à acção daquela autoridade, a Renascença confirmou-o junto a fonte oficial daquela entidade.

“Confirmo que estivemos lá ontem [quarta-feira] e avançámos para a suspensão provisória até serem repostas as condições necessárias à actividade”, afirmou a fonte oficial da ASAE. “Quando o proprietário tiver resolvido as questões que apontámos será feita uma reinspecção.”

Comentar

Comentários