Orgia acaba em morte

rapariga

Um hóspede do Hotel Chadwick, em San Diego, nos Estados Unidos da América, encontrou uma mala deixada encostada aos caixotes do lixo do edifício. Ao aproximar-se do objecto o homem reparou que havia cabelos a sair pelo fecho da mala, que afinal escondia um corpo lá dentro.

O FACEBOOK APAGOU A PÁGINA ORIGINAL D’O HOMEM INVISÍVEL. SEJA FÃ DA NOVA PÁGINA AQUI

As autoridades fazem agora saber que se trata do corpo de Shauna Haynes, de 21 anos. A jovem foi estrangulada até à morte e atirada para o lixo dentro da mala. A polícia investigou o caso e depressa surgiu o nome de Joshua Palmer, de 32 anos, colega de trabalho de Shauna.
Na noite do homicídio, Shauna, Palmer e mais dois amigos, Chelsea e Anthony, foram passear pela cidade e acabaram a noite os quatro num quarto de hotel. Chelsea contou à polícia que ela e Palmer estavam a ter sexo no hotel quando Shauna e Anthony chegaram e começaram a ter sexo a quatro, algo que não agradou muito a Palmer. Palmer pediu para que todos saíssem do quarto de hotel, mas Shauna acabou por ficar com o ele, para o acalmar. Nesse mesmo dia, Palmer mandou uma mensagem a uma amiga a contar a aventura sexual e a dizer que tinha “passado os limites sexuais”. No final da orgia, Palmer ligou para a polícia a dizer que a sua namorada tinha desaparecido, mas ao chegar ao quarto de hotel as autoridades viram que o homem tinha as mãos magoadas, como se tivesse estado envolvido numa agressão.

Dois dias depois a polícia prendeu Joshua Palmer. Foram encontrados vídeos no seu telemóvel que mostravam a orgia entre os quatro amigos e os momentos que se seguiram à saída de Chelsea e Anthony do quarto. Num dos vídeos Palmer gritava “desculpa, eu amo-te, mas eu não suportei ver-te a ter sexo com outro homem. Meu Deus, peço imensa desculpa”, conta um dos oficiais responsáveis pelo caso. Palmer enfrenta a acusação de homicídio e ocultação de cadáver, o que o torna candidato à pena de morte. O homem declarou-se inocente em todas as acusações.

Comentar

Comentários