Piloto norte-americana deixa corridas devido a abuso sexual

Elena Myers

Elena Myers revelou que deixou de fazer provas de motociclismo porque foi «abusada sexualmente». A piloto norte-americana não corre desde 2015 na sequência de um abuso que sofreu em 2014, durante uma massagem num hotel em Filadélfia.

A piloto norte-americana tornou-se em 2010 a primeira mulher a vencer uma corrida da AMA Pro Supersport quando tinha 16 anos, na pista de Sonoma. Em 2013, para a mesma competição, tornou-se a primeira mulher a ganhar no Circuito Internacional da Daytona uma prova de desporto motorizado.

Myers explicou a sua ausência nas redes sociais: «Tenho tido medo de falar disto por receio de perder o apoio dos meus amigos, família, fãs, patrocinadores e da minha comunidade das corridas. Também pensei que podia enterrar a verdade, deixá-la longe atrás de mim e simplesmente continuar como sempre fiz. Mas estava errada e já não posso ficar mais em silêncio.»

O abuso aconteceu na sequência de uma prova no Motorsports Park, em Nova Jérsia, em que caiu. Com um joelho inchado e dores nas costas, Myers marcou uma massagem num hotel de Filadélfia. «Um dia depois da última corrida da temporada 2014 fui abusada sexualmente por um massagista no spa. Denunciei o abuso a vários empregados do spa e do hotel, mas ninguém me ajudou», escreveu no texto onde anuncia um artigo em que o caso judicial está relatado.

Comentar

Comentários