Este milionário dorme com quatro mulheres diferentes todas as noites

travers

É um dos homens mais desejados do mundo, com uma fortuna e estilo de vida invejáveis. Conhecido como ‘O Homem dos Doces’, Travers Baynon, de 45 anos, vive na Gold Coast (Costa Dourada), na Austrália, numa mansão capaz de competir com a da Playboy. Pela primeira vez Travers levantou o véu e falou sobre a sua vida, fortuna, mulheres e sucesso. A propósito do seu 45.º aniversário (que aconteceu em março), o ‘Homem dos Doces’ deixou que um jornalista e um fotógrafo da revista Ocean Road entrassem em sua casa.

Habitualmente, Travers faz sucesso nas redes sociais ao partilhar fotografias com as dezenas de mulheres que passam pela mansão, conhecida como ‘A Loja dos Doces’ (Candy Shop). “Durmo todas as noites com quatro mulheres diferentes”, afirma o milionário, que todos os anos organiza festas de sexo na sua mansão. Travers Baynon é herdeiro da tabaqueira Free Choice, fundada pelo pai com a sua ajuda. O australiano sonhava ser futebolista mas uma lesão na coluna obrigou-o a desistir do desporto ainda na adolescência. Como sempre deu nas vistas pela altura e beleza, foi sondado pela agência Elite Model Management e acabou por assinar contrato para ser modelo nos EUA. Fez sucesso em várias campanhas de marcas como a Levi’s, enquanto viveu vários anos em Miami, na Florida. “Quando comecei ganhava cerca de 1800 euros por dia mas, em pouco tempo, conseguia faturar mais de 30 mil euros, isto quando comecei a trabalhar com marcas de maior renome”, conta Travers, que nasceu no seio de uma família humilde. “A minha mãe trabalhava muito, às vezes até as três da manhã. É a minha grande referência e o meu maior exemplo. Admiro-a muito. Ensinou-me a apreciar o que tinha e a trabalhar para o que queria”, revela o milionário.

Quando conseguiu juntar algum dinheiro, enviou-o para os pais, que abriram a empresa de tabaco em 1991. Acabou por deixar o trabalho de modelo, regressar à Austrália e dedicar-se ao negócio da família. Pelo caminho casou com a Miss Mundo 1991 (de quem mais tarde se divorciou) e teve quatro filhos, Valentino, hoje com 18 anos, Luciana, de 15, Velicia, de 6 e Serafina, de 5. “Sou um pai responsável e foi por isso que fiquei com a guarda dos meus filhos”, orgulha-se Travers. Com especial gosto pelo luxo, o empresário decorou a casa como um palácio. Pelos jardins passeiam-se algumas das mulheres mais belas do mundo, mas Travers é comprometido. Duas vezes: é casado e tem uma namorada. “Porque é que a minha mulher está comigo? Porque é divertido. Aqui todos gostam de se divertir e todos somos felizes. Na hora de deitar é difícil. Tenho pelo menos quatro mulheres na minha cama e muito em que pensar. Acabo por não dormir muito. Mas é esse o segredo: eu sou na cama como nos negócios. Sou criativo, gosto de imaginar e inovar. Invento uma posição sexual diferente todas as semanas. É importante que as mulheres que vivem comigo se sintam estimuladas”, defende Travers.

Taesha Beynon, de 26 anos, conta que o primeiro encontro com o marido foi no MC Donald’s. “Era o sítio mais improvável para ele. Claro que depois fomos a um restaurante de luxo. Quem o vê nas redes sociais, vê-o rodeado de mulheres mas foi comigo que ele se casou, ele tem muitas namoradas mas apenas uma mulher”, afirma a jovem. Já a namorada, Nisha Dowes, de 21 anos, revela que há novas mulheres na ‘Loja dos Doces’ todos os dias. “O Travers vê televisão, lê uma revista e se vê uma mulher que gosta não tem qualquer problema em ligar para o outro lado do mundo e pedir-lhe que venha passar um tempo com ele”, revela a jovem. Todos os anos, o milionário australiano organiza as festas Seven Deadly Sins (Sete Pecados Mortais), das mais exclusivas do mundo. Praticamente vedadas a homens, durante uma semana a ‘Loja dos Doces’ é palco de orgias, festas de piscina, brindes de champanhe e mulheres, muitas mulheres, que são exibidas nas redes sociais. Travers acredita que a chave do seu sucesso é a perseverança. Hoje chamam-me ‘O Homem dos Doces’, mas antes tive que ser ‘O Caçador’. Desde miúdo que sempre me disseram que o meu olhar dizia “Eu tenho que ter aquilo”. E eu faço tudo para ter o que quero. Sempre foi assim. Nada se mete no meu caminho”

Comentar

Comentários